Rio Santos Bossa Fest

AGENDA DE APRESENTAÇÕES

  • PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO

    Dia 17 de Janeiro • Sexta

    18h00 Abertura Exposição Fotos de Kelly Petraglia – “Um Olhar sobre o Rio Santos Bossa Fest & Rio Santos Jazz Fest”
    20h00 Abertura Oficial RIO SANTOS BOSSA FEST 2020
    Show musical de JULIA FERREIRA (voz) & OSCAR GONZALEZ (guitarra)

    Dia 18 de Janeiro • Sábado

    19h00 Exibição do filme PAULO JOBIM – MARIO ADNET – JOBIM ORQUESTRA & CONVIDADOS – 100 minutos
    18h00 Exibição do filme ROBERTO MENESCAL – “80 ANOS” – 80 minutos
    20h00 Show musical de EU, TU & ELA e CONVIDADOS – LETÍCIA CAIRES (voz) e GABRIEL SALGUEIRO (violão, baixo e back vocal)

    Dia 19 de Janeiro • Domingo

    16h30 Exibição do filme EMILIO SANTIAGO – “SÓ DANÇO SAMBA – AO VIVO” – 100 minutos
    18h30 Show musical de BRUNO CONDE (violão) & CRIS MAISATTO (voz)

    Dia 20 de Janeiro • Segunda

    18h30 Exibição do filme VINICIUS DE MORAES – “VINICIUS” – Um filme de Miguel Faria Jr. – 124 minutos

    Dia 21 de Janeiro • Terça

    17h30 Exibição do filme “GAL COSTA CANTA TOM JOBIM – AO VIVO” – 80 minutos
    19h30 Exibição do filme “TOQUINHO – TRIBUTO A BOSSA NOVA – ESPECIAL 40 ANOS DE CARREIRA” – 40 minutos

    Dia 22 de Janeiro • Quarta

    17h30 Exibição do filme ”WANDA SÁ & CONVIDADOS – AO VIVO” – 100 minutos
    19h30 Exibição do filme “OLHA QUE COISA MAIS LINDA – UMA HOMENAGEM A TOM JOBIM” – 50 minutos

    Dia 23 de Janeiro • Quinta

    17h30 Exibição do filme ”TURNÊ 24º. PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA – HOMENAGEM A TOM JOBIM” – 60 minutos
    18h30 Exibição do filme “NASCI PARA BAILAR – JOÃO DONATO – HAVANA – RIO” – 50 minutos
  • SESC SANTOS

    Dia 25 de Janeiro • Sábado

    DIA NACIONAL E MUNICIPAL DA BOSSA NOVA
    15h00 Workshop com CELSO FOSECA & AMILTON GODOY (AUDITÓRIO)
    19h00 Show musical de CELSO FOSECA – VOZ & VIOLÃO – Homenagem a Tom Jobim e João Gilberto (TEATRO SESC)
    21h00 Show musical de AMILTON GODOY TRIO – Homenagem ao Zimbo Trio (TEATRO SESC)
  • CONCHA ACÚSTICA • CANAL 3

    Dia 26 de Janeiro • Domingo

    17h00 Show musical de “SAMBA NA BOSSA” – Roda de Samba tocando os clássicos da Bossa Nova, sob a liderança de LUIZINHO MASTELLARI (vocalista do Grupo Feitiço) & CONVIDADOS

CONHEÇA AS ATRAÇÕES


atrações principais

JULIA FERREIRA & OSCAR GONZALEZ
PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO
17/01 - 20h00

Mais Info.

CELSO FONSECA
TEATRO DO SESC
25/01 - 19h00

Mais Info.

AMILTON GODOY TRIO
TEATRO DO SESC
25/01 - 21h00

Mais Info.

atrações locais

EU, TU & ELA e CONVIDADOS LETÍCIA CAIRES & GABRIEL SALGUEIRO
PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO
18/01 - 20h00

Mais Info.

BRUNO CONDE & CRIS MAISATTO
PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO
19/01 - 18h30

Mais Info.

SAMBA NA BOSSA, liderança de LUIZINHO MASTELLARI & CONVIDADOS
CONCHA ACÚSTICA - CANAL 3
26/01 - 17h00

Mais Info.

Release

Rio Santos BOSSA FEST 2020 – 62 anos da BOSSA NOVA

O objetivo principal do RIO SANTOS BOSSA FEST é trazer entretenimento para o público da Baixada Santista através do melhor da produção brasileira da BOSSA NOVA.

Informações

Rio Santos Bossa Fest 2018

Apoio

REALIZAÇÃO

JULIA FERREIRA & OSCAR GONZALEZ



PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO - 17/01 - 20h00

Julia Ferreira

A voz
Trabalhando desde outubro de 2017 com o produtor Oscar Gonzalez no projeto Homenagem aos 60 Anos da Bossa Nova, Julia Ferreira já cantou no Beco das Garrafas, Bar Brahma, All of Jazz, etc. Cantora paulistana, 22 anos, iniciou seus estudos de música em 2009 aos 12 anos de idade, na Associação Músicos do Futuro fundada pelo maestro Edson Ferreira. Cursou por 5 anos piano erudito. Fez curso de teatro musical, interpretação, e artes cênicas na Teen Broadway. Após um ano em Portugal, aconteceu o seu encontro com o produtor Oscar Gonzalez. Em Maio de 2019 lança seus quatro CDs simultaneamente com 60 das maiores obras da Bossa Nova.

Oscar Gonzalez

Guitarrista e Produtor Musical
Vive em São Paulo desde 1977.
Nascido em Santiago de Chile em 28 de maio de 1967, iniciou sua carreira em 1984. Produziu CDs e DVDs de grandes artistas de vários gêneros musicais. Nos seus 35 anos de carreira, trabalhou com os maiores produtores e os melhores músicos de gravação do Brasil. É também arranjador. Na Europa produziu o CD de Bossa Nova Soul do Brasil totalmente gravado em Portugal. Agora produz a talentosa cantora em seus 4 álbuns.

CELSO FONSECA



TEATRO DO SESC - 25/01 - 19h00

Cantor, compositor, instrumentista, arranjador e produtor, Celso Fonseca nasceu no Rio de Janeiro e começou a tocar violão como autoditada, ainda bem jovem, com dez anos de idade. Depois, mais tarde, já com uma formação musical mais sólida, veio a se tornar profissional e tem uma carreira múltipla, onde todas essas funções se misturam.

Como compositor, tem músicas gravadas por artistas como, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Gal Costa, Maria Bethania, Nana Caymmi, Ney Matogrosso, Marcos Valle, Erika Ender, Daniela Mercury, Mart’nalia, Ana Carolina, Luiz Melodia, Carlinhos Brown , Vinicius Cantuária, Samantha James, Chiara Civello, Adriana Calcanhotto, Paulo Milklos, com o mestre da guitarra portuguesa, Antonio Chainho entre muitos outros.

Como artista, Celso tem 17 albuns aclamados pela crítica nacional e internacional :

Minha Cara (1986), O Som do Sim (1993), Sorte (1994), Paradiso (1997) e Juventude/Slow Motion Bossa Nova, ( 2001 ), ( indicado 3 vezes ao Latin Grammy em 2002 ), Natural (2002) – lançado pela Ziriguiboom / Crammed discs, Rive Gauche Rio (2005) – Indicado pelo The Sunday Times como um dos 10 melhores albums do ano , Polaróides (2006), Feriado (2007), Celso Fonseca Ao Vivo, (2008 – CD e DVD com participações especiais de Gilberto Gil e Ana Carolina), Página Central, com Marcos Valle ( 2009 - músicas originais compostas em parceria com Marcos Valle), Celso Fonseca, Voz e Violão, ( 2010 – CD e DVD solo com versões de músicas nacionais e internacionais, além de músicas autorais ), No Meu Filme (2011), Like Nice (2015) (Indicado 4 vezes ao Latin Grammy 2016), Liebe Paradiso, uma releitura do álbum Paradiso de 1997, indicado à um Latin Grammy de melhor engenharia e som, Turning Point , ( 2018 ), O tempo ( 2019 ).

O artista tem viajado o mundo em tournées e shows internacionais, desde 2002. Seus espetáculos tem sido com banda, em duo e solo, passando por lugares como Europa, Estados Unidos, Japão e Rússia, onde tocou duas vezes no prestigiado Tchaikowsky Hall com a Orquestra Filarmônica de Moscow.

Celso também foi o Segundo artista a participar, em 2003, do programa de música mais importante da Europa, “Later with Jools” , do apresentador Jools Holland.

Suas colaborações com artistas internacionais tem sido com nomes tais como a lenda italiana da canção, Tony Renis, o cantor e compositor uruguaio Jorge Drexler, vencedor de um Prêmio Oscar , as cantoras italianas Ornella Vanoni e Chiara Chivello, a americana Samantha James , e a cantora e compositora panamenha, Erika Ender – uma das autoras do mega-hit “ Despacito “. Em 2018 gravou com Carla Bruni em Paris para uma participação no disco da cantora Mart’nalia. Celso ganhou o Latin Grammy de melhor.

Com Erika, ele escreveu uma canção inédita para seu álbum, Turning Point, lançado pela Universal Music Brasil e pelo selo Wrasse na Europa e Japão.

No ano de 2018, foi o único artista brasileiro convidado para o primeiro Songwriters Camp, realizado no Midem, em Cannes, onde se reuniu para compor com 12 artistas, compositores e produtores do mundo inteiro . Participou também de outro Camp organizado pela Music Australia, em dez de 2018.

Atualmente tem trabalhado com o mega produtor Brasileiro Dudú Borges, fazendo músicas inéditas e lançando singles no site Analaga, do próprio produtor. Ao mesmo tempo tem percorrido o Brasil com um show solo em homenagem à João Gilberto.

No Latin Grammy de 2019, o disco “Mart’nalia canta Vinicius”, produzido por ele ganhou o prêmio de melhor álbum de Samba.

Celso Fonseca voz e violão 2019

O novo show solo de Celso Fonseca é uma homenagem à João Gilberto, Tom Jobim e à Bossa Nova . Nele, o cantor e compositor interpreta músicas do repertório de João, como “Doralice’, “Tin tin por tin tin”, “S’Wonderful”, “Voce e eu”, “Estate”, entre outras. Do repertório de Jobim também estão presentes “Garota de Ipanema”, “Ela é carioca”, “Esse seu olhar “ e “Wave”. Ao mesmo tempo, Celso mostra porque é considerado pela imprensa internacional o artista que levou a Bossa Nova adiante. Ele interpreta músicas de sua autoria que fazem parte dos 17 albuns lançados por ele. Clássicos como “Slow motion Bossa Nova”e “Like Nice”. O artista já foi oito vezes indicado ao Latin Grammy, inclusive na categoria principal, “Canção do ano”, que em 2016 concorreu com grandes artistas latinos como Enrique Iglesias, Fito Paes, Shakira entre outros. Nessa categoria, Celso está entre o grupo seleto dos cinco artistas brasileiros que foram indicados em toda a história do prêmio, até então.

AMILTON GODOY TRIO



TEATRO DO SESC - 25/01 - 21h00

Amilton Godoy lança Tributo ao Zimbo Trio

O pianista apresenta com seu trio o disco em homenagem ao histórico grupo e a nata da música brasileira

Uma grande história musical a ser lembrada. O pianista Amilton Godoy, ao lado do baterista Edu Ribeiro e do contrabaixista Sidiel Vieia, o Amilton Godoy Trio, lançam o disco Tributo ao Zimbo Trio, uma homenagem ao lendário grupo instrumental que comemoraria 55 anos de carreira em 2019.

O Zimbo Trio nasceu nos anos 60, no auge do movimento de renovação da música brasileira, da Bossa Nova, gravou mais de 50 discos fazendo música instrumental brasileira, sozinhos ou ao lado de cantoras como Elis Regina (no programa O Fino da Bossa) e Elizeth Cardoso (no Bossaudade). Viajaram o mundo protagonizando seu samba jazz com improvisos contagiantes, conquistando reconhecimento nacional e mundial.

"Tributo ao Zimbo Trio" relembra músicas emblemáticas desta trajetória memorável, como o primeiro arranjo do Zimbo feito para “Garota de Ipanema” e o hino brasileiro “Aquarela do Brasil”. Celebra ainda nomes da nossa música como Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Baden Powell, Djavan, Ary Barroso, Tom Jobim, João Bosco, Gilberto Gil, Edu Lobo, Vinícius de Moraes, além de trazer uma homenagem personalizada em "pot-pourri" para Milton Nascimento e sua revolução harmônica. Elis e Elizeth também são celebradas no disco em “Arrastão” e "Cidade Vazia". E para relembrar os LPs do Trio com orquestra, uma faixa registra Johann Sebastian Bach.

"Desde o início da carreira o Zimbo Trio despertou no público uma grande admiração pela sua forma de tocar, pautada pelas mais puras raízes brasileiras com grande influência jazzística. O Trio ganhou com isso todos os prêmios como melhor grupo instrumental brasileiro durante muitos anos seguidos”, compartilha Amilton Godoy, fundador do Zimbo Trio. Durante a trajetória de 49 anos na ativa, o grupo gravou 51 discos, entre LPs, EPs e CDs, editados em 22 países e se apresentou em 40 países.

Amilton comenta também sobre as motivações em criar este disco homenagem. "Algumas iniciativas têm sido feitas no sentido de relembrar importantes momentos da nossa história musical, como por exemplo o programa Fino da Bossa, onde a presença do Trio era constante junto com Elis e Jair, na base do programa, quando recebíamos os convidados. Pessoas bem informadas me perguntam porque o Zimbo Trio não foi nem citado na recriação recente deste programa... Eu não sei porquê, mas eu lamento que isso tenha acontecido porque o nome do Trio está sendo omitido e os responsáveis por isso estão cometendo um erro histórico. Eu não gostaria que esta história fosse mal contada, então me ocorreu de dar um resposta. Então, a ideia do disco surgiu, uma resposta musical".  

A intenção principal de Amilton é enaltecer a obra do Zimbo Trio, através da regravação de algumas de suas melhores músicas compiladas num mesmo disco, um tributo relembrando o grupo pela sua importância e seu significado. O pianista convidou para a empreitada, dois músicos que considera os melhores em seus instrumentos, Edu Ribeiro e Sidiel Vieira, para juntos trabalharem em cima dos melhores arranjos do Zimbo.

A capa do Tributo ao Zimbo Trio relembra o grafismo modernista e geométrico estampado em discos famosos como "O Fino do Fino" com Elis Regina (1965) e Decisão (1969). O lançamento em São Paulo, na recém inaugurada Blue Note também é significativo, já que relembra que o grupo começou tocando na Baiuca, uma casa no centro da cidade com proposta similar, onde muitos dos arranjos do Trio nasceram.
Amilton Godoy tem a propriedade de quem conviveu e atuou com a nata da MPB em sua melhor fase, um arquivo vivo de uma época explosiva e criativa para a música brasileira, além de ter sua própria história cheia de prêmios. O pianista é criador de uma sonoridade de grande extensão e precisão, aliando sua formação erudita ao suingue brasileiro que o mantém na ativa a mais de seis décadas, transpassando o tempo com solidez e com frequentes novos trabalhos. Aos 77 anos, o músico segue praticando piano diariamente e produzindo, sozinho ou com parceiros da música.

Celebre esta saudosa história com o Amilton Godoy Trio.

Ficha Técnica
Tributo ao Zimbo Trio

Grupo: Amilton Godoy Trio Ano de Lançamento: 2019
Faixas: 12
Gênero: Música Instrumental
Tempo total: 68 minutos
Amilton Godoy: Piano e arranjos
Sidiel Vieira: Baixo Acústico
Edu Ribeiro: Bateria

Faixa a faixa:
01- Garota de Ipanema (Tom Jobim / Vinícius de Moraes) 4:32
02- Loro (Egberto Gismonti) 5:27
03- Prelúdio Nº 2 em Dó Menor (Johann Sebastian Bach) 3:28
04- Águas de março (Tom Jobim) 5:15
05- Avião (Djavan) 6:43
06- Pout Pourrit Milton Nascimento 13:46
-Coração Civil (Milton Nascimento e Fernando Brant) 2:05
-Bola de meia, bola de Gude (Milton Nascimento e Fernando Brant) 1:10
-Conversando no Bar (Milton Nascimento e Fernando Brant) 2:17
-Vera Cruz (Milton Nascimento e Marcio Borges) 1:41
-Paula e Bebeto (Milton Nascimento e Caetano Veloso) 1:14
-Tostão (One Coin)  (Milton Nascimento e Matthew Moore) 0:50
-Canção da América (Milton Nascimento e Fernando Brant) 2:06
-Raça (Milton Nascimento e Fernando Brant) 02:18
07- Domingo no Parque (Gilberto Gil) 4:04
08- Cidade Vazia (Baden Powell e Luiz Fernando Freire)) 5:42
  09- Bebe (Hermeto Pascoal) 6:08
10- Arrastão (Edu Lobo / Vinícius de Moraes) 2:43
11- Incompatibilidade de Gênios (João Bosco e Aldir Blanc) 4:34
12- Aquarela do Brasil (Ary Barroso) 6:25

Disco digital> Estará disponível em todas as plataformas digitais para download ou streaming: iTunes, Google Play, Spotify, Deezer, Apple Music etc.

Acesse:
http://www.amiltongodoy.com/
www.clamescolademusica.com.br
https://www.facebook.com/godoy.amilton/
https://www.instagram.com/amiltongodoy

Produção Executiva
Dani Godoy (DG Produções) – (11)996166632
[email protected]
[email protected]

EU, TU & ELA e CONVIDADOS LETÍCIA CAIRES & GABRIEL SALGUEIRO



PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO - 18/01 - 20h00

Um nome simplório para um projeto que também surgiu simples assim: Dois amigos, apaixonados por música qe optaram por se unir e compor um projeto único, carregado de sinergia e muita emoção, com Letícia Caires (Voz) e Gabriel Salgueiro (Violão/Baixo e Back Vocal).

O objetivo da duplaé dar uma nova roupagem para clássicos nacionais e também internacionais, com nuances estribados em ritmos como Soul, Blues e Bossa Nova.

BRUNO CONDE & CRIS MAISATTO



PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO - 19/01 - 18h30

Bruno Conde

Natural de Santos SP, Bruno Conde é violonista, compositor, arranjador e professor de música.

Bruno está produzindo um novo trabalho autoral: A QUEM QUISER OUVIR, que será lançado faixa a faixa nas plataformas até que se complete todo o repertório. Dessa vez com as vozes de ANDRÉ FERNANDES, BRENO RUIZ, BRUNA CARAM, GUILHERME NEVES, MARIO GIL, MATEUS SARTORI, PEDRO IACO, RENATO MOTHA, PATRÍCIA LOBATO, TENNYSON e TÚLIO BORGES. E CAIO MESQUITA (saxofone soprano) participa em uma faixa. Todas as músicas terão um vídeo-clipe desenvolvido especialmente pra esse trabalho.

Em julho de 2019 gravou o novo álbum do cantor MATEUS SARTORI, juntamente com os músicos GUILHERME RIBEIRO (teclas), IGOR PIMENTA (baixos) e PRISCILA BRIGANTE (bateria) no estúdio DA PÁ VIRADA (São Paulo), o título desse trabalho é NA VOLTA QUE O MUNDO DÁ e tem previsão de lançamento para o mês de outubro de 2019.

Conde tem três discos lançados:

• “PRISMA” (2011), que tem participação das vozes de CELSO LAGO, LARISSA FINOCCHIARO, KLEBER SERRADO e RENATO BRAZ.
• “EKOA” (2015), em parceria com os amigos KLEBER SERRADO (voz) e THEO CANCELLO (piano), com participações de MARCOS SUZANO, RENATO BRAZ, TENNYSON e ZAMBI.
• “CONFINS” (2017), com participações das vozes de ANDRÉ FERNANDES, BRUNA MORAES, GUILHERME NEVES, KLEBER SERRADO, LADSTON DO NASCIMENTO, MATEUS SARTORI, PABLO FAUAZ, RENATO MOTHA, TENNYSON, trio SINHÁ FLOR e VITOR RAMIL, além dos instrumentistas ANDRÉ MEHMARI, FELIPE ROMANO, MARIO GIL, NAILOR PROVETA, THEO CANCELLO, TENNYSON, trio SINHÁ FLOR, ULISSES NICOLAI e ROSSANA NICOLAI. Arranjo para cordas de LAUTARO MICHAUX.

Em maio de 2014, o trio EKOA fez duas apresentações com a ORQUESTRA JOVEM TOM JOBIM e seu maestro titular ROBERTO SION, que orquestrou duas canções de autoria do trio. Os registros de áudio visual desta apresentação estão disponíveis acessando o web programa PROJETO GALPÃO.

Em maio de 2015 gravou a web série "VIOLANDO", com arranjos inéditos para músicas consagradas. Em clima intimista, os vídeos foram gravados em um único “take”, sem cortes, priorizando a veracidade das interpretações. Atualmente a série é postada semanalmente com o nome "VIOLANDO em casa", além das músicas solos agora também com convidados instrumentistas.

Em parceria com os amigos e músicos Kleber Serrado e Theo Cancello, produziu o web programa PROJETO GALPÃO, divulgando a música autoral, com quase 30 vídeos disponibilizados na internet, o trio contou com as participações de Zé Luiz Mazziotti, Filó Machado, Arismar do Espírito Santo, maestro Roberto Sion, Pedro Altério, Gilson Peranzzetta, Lula Barbosa, entre outros.

Em 2017, BRUNO CONDE participou do CD “DOIS EM PESSOA – VOLUME II” dos mineiros RENATO MOTHA e PATRÍCIA LOBATO. Arranjou e gravou os violões de três faixas no CD do compositor GUILHERME NEVES, uma delas com o sanfoneiro TONINHO FERRAGUTTI.

BRUNO CONDE (site oficial) http://www.brunoconde.com
(youtube oficial) http://www.youtube.com/bconde85

(spotify oficial) https://open.spotify.com/artist/3EaGPjziDc7ecITcYPMZkM
(facebook oficial) http://www.facebook.com/bconde85
(instagram oficial) http://www.instagram.com/brunoconde85
(13) 98171-3093

CRIS MAISATTO

Cantora de canto delicado, radicada no Japão há 20 anos, vivenciando o gosto dos japoneses pela música brasileira e principalmente pela Bossa Nova.

Fez shows em várias cidades japonesas com público 100% japonês.

Sua influência na música vai desde Nara Leão, Leila Pinheiro, Zizi Possi e também as grandes cantoras atuais como Roberta Sá, Maria Rita, Mônica Salmaso, Adriana Calcanhoto entre outros nomes.

Fortemente influenciada pela Bossa Nova e o Samba, Cris Maisatto com seu canto leve caiu no gosto dos japoneses que admiram muito a obra de Tom Jobim e principalmente o toque do violão de João Gilberto, além dos sambas de raiz e músicas da MPB

Seu talento e simplicidade acabou por ser reconhecida pelo produtor japonês Sussumu Asakura (in memoriam), que produziu seu primeiro disco no pais do sol nascente, intitulado “Falando de Amor”, com músicas de Tom Jobim , tendo a participação especial em duas músicas, Luiza e Samba de uma Nota Só com arranjo do maestro e pianista francês Gilles Gambus, mundialmente conhecido.

A partir disto muitos shows foram feitos, com uma interpretação simples e leve, tocando com músicos do Jazz e conquistando cada vez mais a simpatia dos japoneses.

SAMBA NA BOSSA

Roda de samba tocando os clássicos da Bossa NOVA, sob a liderança de LUIZINHO MASTELLARI & CONVIDADOS



CONCHA ACÚSTICA - CANAL 3 - 26/01 - 17h00

26 de Janeiro de 2020 às 17h, Aniversário da cidade de Santos , teremos o encerramento do “Rio Santos Bossa Fest” com o tema “SAMBA NA BOSSA” , que acontecerá na Concha Acústica de Santos no canal 3!

Teremos uma roda de samba com Luizinho Mastellari (vocalista do Grupo Feitiço e Projeto Viva MPB) & convidados (Bruno Conde, Osvaldinho do Cavaco, Vanderson Franco, entre outros), onde apresentarão músicas consagradas da Bossa Nova como:

“Garota de Ipanema” , "Ela é carioca”, “Chega de Saudade” e "Wave" de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.
“Samba do avião” e “Águas de Março" de Tom Jobim.
“O barquinho” e “Ah! Se eu pudesse” de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli.
“Você e eu” de Carlos Lyra e Nelson Faria.
Entre tantos outras músicas maravilhosas da nossa Bossa Nova !

Rio Santos BOSSA FEST 2020

Shows – Exibição de Filmes – Exposição de fotos - Workshops

Janeiro 2020



O objetivo principal do RIO SANTOS BOSSA FEST é trazer entretenimento para o público da Baixada Santista através do melhor da produção brasileira da BOSSA NOVA.

Patrimônio nacional, a BOSSA NOVA é um gênero musical nascido no país e conhecido no mundo inteiro.

Em 2020, vamos comemorar em grande estilo os seus joviais 62 anos.

Pelo 7º. ano consecutivo, o festival irá fazer parte das comemorações do Dia Nacional e Municipal da BOSSA NOVA, comemorados sempre em 25 de janeiro.

A data que celebra o Dia Nacional da BOSSA NOVA foi criada através de Lei Federal no. 11.926, de 17 de abril de 2009, inspirada no dia de nascimento de Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim.

Em Santos, foi instituída através de Lei Municipal no. 2.972, de 14 de março de 2014, que inclui no Calendário Oficial do Município, a Semana da Bossa Nova, comemorada sempre de 19 a 25 de janeiro.

De forma acessível e com entrada gratuita, o Festival será dividido em 10 dias, com atrações brasileiras, de artistas de alto gabarito e reconhecidos no exterior, das cidades do Rio de Janeiro, considerada como o berço da BOSSA NOVA e de Santos e da cidade de São Paulo.

Acontecerá entre os dias 17 e 26 de janeiro de 2020, com apresentações e atividades programadas para o TEATRO SESC SANTOS, CONCHA ACÚSTICA E PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO

BOSSA NOVA

A BOSSA NOVA que pode ser definida simplesmente como a forma de execução do samba (harmonias, arranjos, acordes, colocações vocais, seleção e comportamento instrumental), teve seu marco inicial em 10 de julho de 1958, quando o cantor e violonista João Gilberto gravou o 78 rpm “Chega de Saudade”, composição de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, no estúdio da gravadora Odeon, na Cinelândia, no Rio de Janeiro.

A sua célebre batida sincopada ao violão, transformou e revolucionou para sempre a música popular brasileira.

É importante destacar que em 2020, quando completa 62 anos de vida, o gênero continua preservado e difundido com vigor por uma legião de fãs.

A iniciativa em Santos possibilita que as gerações mais novas possam conhecer melhor a Bossa Nova, que atualmente passa por um natural processo de atualização da sua sonoridade. A levada original e única, que permanece preservada, tem recebido alguns ingredientes da modernidade, que dão a ela um ar de frescor e juventude.

O RIO SANTOS BOSSA FEST é voltado exclusivamente ao interesse público, a formação e informação do público e ao desenvolvimento de suas bases culturais e sensibilidade artística, oferecido a população gratuitamente.

SERVIÇO:
RIO SANTOS BOSSA FEST 2020 – 62 anos da BOSSA NOVA
(Comemoração do Dia Nacional e Municipal da Bossa Nova em Santos - 25/01/20)

PERÍODO: entre os dias 17 e 26 de janeiro de 2020
FAIXA ETÁRIA: LIVRE
LOCAIS: TEATRO SESC SANTOS – CONCHA ACÚSTICA – PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO

A EXPOSIÇÃO DE FOTOS “UM OLHAR SOBRE O RIO SANTOS BOSSA FEST E RIO SANTOS JAZZ FEST” DA FOTÓGRAFA KELLY PETRAGLIA ACONTECERÁ NO PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO FESTIVAL, NO ESPAÇO CULTURAL DA PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO OS HORÁRIOS DE VISITAÇÃO ESTARÃO SUJEITOS AOS HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO DA PINACOTECA

REALIZAÇÃO: www.digitaljazz.com.br
INFORMAÇÕES E PRODUÇÃO CULTURAL: CÁSSIO LARANJA – [email protected] e GRAZIELLA GUERREIRO – [email protected]
www.riosantosbossafest.com.br